Connect with us

Dicas de Revenda

Aprenda a calcular a sua margem de contribuição e Construa um mix de vendas eficiente

Published

on

Hoje iremos falar de algo muito importante em uma loja: o Mix de Produtos. Vamos aprender a comprar e construir uma variedade de produtos que promete ser mais atrativo e com maior margem de venda.

 

Imagine se você diante dos 6 produtos mais vendidos da sua loja e você só pudesse escolher 3, quais você escolheria? E agora, me responde, qual destes 3 produtos têm a maior margem de contribuição? Então por que trabalhar com os outros 3 produtos que você não escolheu? Essa resposta lógica seria a decisão correta? Para a maioria das pessoas sim, mas será mesmo que é esse o caminho?

Para chegarmos em uma resposta sensata é preciso analisarmos algumas questões revelantes:

  • Primeiro e o mais importante, você sabe o que é margem de contribuição? Como eu sei qual é o produto que tem a maior margem de contribuição?

Calma, vamos lá, primeiro, margem de contribuição é o valor que cada produto gera para cobrir os seus custos fixos.Para descobrir qual a margem de lucro de cada produto é preciso aplicar a seguinte formula sobre o valor de compra de cada produto: MC = PV – Custos Diretos   (PV: margem de contribuição, PV: preço de venda)

  • Segundo: você sabe quais são os seus custos fixos?

Para quem ainda não sabe, custos fixos ou despesas fixas são aqueles gastos mensais que não dependem de fatores externos para serem cobrados. Por exemplo, o aluguel, a folha de pagamento, a internet, a conta de luz, etc.

  •  Terceiro e não menos importante: quais são os seus custos diretos?

Custos ou despesas diretas, nada mais é do que os seus custos variados, por exemplo, o preço da bolsa que você acabou de comprar, impostos sobre as vendas, comissões da equipe de vendas, etc.

Com todos esses dados na ponta do lápis, fica infinitamente mais fácil calcular a sua margem de contribuição de cada produto vendido em sua loja. Mas calma, não é só isso que você precisa para comprar/vender os produtos que possuem a maior margem de contribuição.
Mas saiba, que os três passos que ensinamos a cima é só o básico para você  entender um pouquinho sobre a sua margem de contribuição. Agora que você já sabe o básico, vamos dar um passo a mais e analisarmos juntos um pouquinho mais a fundo.
Imaginemos o seguinte exemplo:
(Análise simples da Margem de Contribuição)

Produto Receita Custos Variáveis M.C. Ranking
A 460.000,00 250.000,00 110.000,00 A
B 120.000,00 100.000,00 10.000,00 C
C 240.000,00 60.000,00 100.000.00 B
Total 720.000,00 500.000,00 320.000,00

Parece difícil, mas com essa análise simples, podemos concluir que o produto que deveríamos investir e vender mais, seria o A, na sequencia o C e por último o B.
Mas o mundo real não é bem assim, existe variáveis, por isso que precisamos analisar também os seguintes fatores:  a Margem de Contribuição x Fator limitativo.
E agora, como eu calculo isso? Calma essa analise é um pouco mais simples:

  1. Vamos imaginar que:
  • Não temos estoques iniciais.
  • Tudo que foi comprando foi vendido:

Produto A – 10.000 unid.  Produto B – 7.500 unid. Produto C – 2.500 unid.

  • A capacidade máxima de venda da loja, medida em mão de obra direta, não ultrapassa 150.000 horas anuais. (LIMITADOR)
  • Quantidades máximas que o mercado absorve de cada produto são:

A – 12.000        B – 9.500       C – 3.000 unidades

  • E, por fim consideramos também que, Custos /Despesas fixas são de R$ 100.000,00.
  1. Devido ao fator limitante (Horas de loja aberta), teremos:
Produto  Quant.  M.C. Horas Gastas  Ranking
 Vendida  Unit. por produto por hora
A   110.000,00                  11,00 5 R$ 2,20 A
B     20.000,00                     2,67 2 R$ 1,33 B
C     90.000,00                  36,00 34 R$ 1,06 C
Total   220.000,00
Memória de cálculo: R$ 2,20

Observe que o ranking dos produtos mais rentáveis alterou devido ao cálculo da MC ser ajustado em função das horas de loja aberta/ limitação na produção.
E finalmente, teremos que calcular as quantidades que precisam serem vendidas utilizando o novo RANKING dos produtos, lembrando que não podemos “estourar” a capacidade de compra que é de: 150.000 horas/homem.
  Apresento agora, conforme prometido, o MIX MATADOR:
 

a

b

c = a*b A  
Produto Qtde admitida Horas Gastas Total de horas Total de horas
pelo mercado por produto Gastas Possíveis
A 12000 5 60.000 60.000  
B 9500 2 19.000 19.000  
C 3000 34 102.000 71.000  150 – (60 + 19 )
Total     181.000
Ultrapassou a Quantidade de Horas
150.000
    232.509,80
a   b

c = a/b

d e = c * d
Total de horas Horas Gastas Unidades
Possíveis por produto por produto UNITÁRIA TOTAL
 60.000   5 12.000 11,00 132.000,00
19.000   2 9.500 2,67 25.333,00
71.000  150 -(60 + 19) 34 2.088 36,00 75.176,47
150.000       232.509,80
Custo Fixos -100.000,00
Maior Lucro Líquido possível  132.509,80

Conclusão:

  • Procurar o produto que tem maior margem não é, muitas vezes, suficiente.

 

  • Precisamos investir no produto que apresente a melhor margem de contribuição por fator limitativo de capacidade.

Agora que você já sabe como comprar e vender melhor, que tal abastecer a sua loja com as novidade do Birô? clique aqui e boas compras.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Business

Como calcular o faturamento da sua empresa?

Published

on

Se você tem negócio próprio, certamente, a saúde financeira da empresa deve ser uma das suas maiores preocupações. Afinal, não é novidade que esse fator é determinante para o crescimento ou declive da sua loja – de fato, conforme dados do Sebrae, as taxas de mortalidade de novas empresas no Brasil, com dois anos de funcionamento ou mais, chega a quase 25%, e uma das principais causas disso é a má gestão financeira. Por isso, é fundamental se organizar e entender algumas questões-chave nesse processo, como calcular o faturamento.

A seguir, confira dicas para calcular o faturamento de sua empresa sem erros. Acompanhe!

O que é faturamento?

O faturamento é a soma de todos os valores que entram no caixa em um determinado período, geralmente medido mês a mês, devido à sua atividade comercial. Aqui, é importante entender a diferença entre faturamento e lucro: o segundo conceito é o valor que sobra depois do pagamento de todas as despesas. Isso significa que faturamento alto não é sinônimo de lucro alto!

Para ficar mais claro, vamos supor que você vendeu 10 bolsas no mês, por R$ 50 cada. Seu faturamento mensal será de R$ 500. É perceptível que o faturamento está diretamente ligado ao preço e à quantidade de vendas realizadas. Já seu lucro serão esses R$ 500 menos suas despesas para funcionamento (taxa de locação, pagamento de salários, compra de insumos, etc.).

Como calcular o faturamento?

Aqui, é importante diferenciar e saber calcular o faturamento bruto e o líquido.

– Faturamento bruto

O faturamento bruto é o valor que a empresa recebeu pelas suas vendas em um determinado período. Ele aumenta sempre que há uma nova venda – independentemente se é parcelada ou não, o valor será contabilizado de forma integral.

Assim, se você tem uma empresa que vende bolsas e acessórios femininos e comercializou 1.000 unidades no último mês a R$ 100, o seu faturamento bruto será:

Faturamento Bruto = R$ 100 X 1.000 = R$100 mil.

– Faturamento líquido

Já no faturamento líquido, é preciso retirar as deduções das vendas, o que corresponde a vendas canceladas e mercadorias devolvidas, além de impostos incidentes sobre elas, como o IPI.

Supondo que temos apenas um imposto, o ICMS, que, nesse caso, será de 18%. Levando em consideração que 18% de R$ 100 mil = R$18 mil, então:

Faturamento Líquido = R$100 mil – R$18 mil = R$82 mil

Dicas para fazer sua estimativa de faturamento

Fazer a projeção financeira do seu negócio é extremamente vantajoso para uma gestão mais segura e otimizada, e para reduzir perdas financeiras. Confira algumas dicas para elaborar sua projeção financeira:

  • Seja realista na hora de elaborar seu planejamento financeiro, sempre se baseie no seu fluxo de caixa.
  • Avalie seus custos e projete suas vendas de acordo com o desempenho anterior e as variações do mercado, nunca vá pelo “achismo”.
  • Para facilitar esse processo, analise o custo do produto, a média mensal do que é vendido e o valor gasto por venda.
  • As informações do fluxo de caixa devem estar sempre atualizadas.
  • Estime o valor de caixa uma vez por mês, não se esqueça de incluir obrigações fiscais, retiradas e despesas fixas.
  • Faça um estudo das perdas e dos lucros dos últimos anos, esse controle lhe ajudará a prever o que vai acontecer nos próximos meses, bem como a repetir sucessos e não cometer os mesmos erros.

Não se esqueça: suas metas devem ser empolgantes, mas sempre realistas!

E então, pronto para calcular o faturamento de sua loja? Tem alguma outra dúvida sobre o tema? Deixe sua mensagem nos comentários!

Continue Reading

Business

5 coisas que prejudicam as vendas da loja

Published

on

Não é raro encontrar lojistas que se perguntam porque não conseguem alcançar as suas metas. Mesmo se esforçando ao máximo, muitos empreendedores ainda encontram dificuldades para conquistar bons resultados e alavancar as vendas da loja.

Se mesmo após investir em uma boa equipe de vendedores, proporcionar bons preços e facilitar os pagamentos você ainda não está tendo sucesso, talvez seja a hora de rever as estratégias do seu negócio.

Para ajudá-lo a mudar esse cenário, listamos os principais fatores que podem impedir que as vendas da loja decolem. Anote as dicas!

  1. Mix de produtos não diversificado

Provavelmente, em algum momento da vida, você já entrou em um estabelecimento e não encontrou aquilo que desejava comprar. Essa situação pode ser bem desagradável, não é mesmo? Por isso, é muito importante investir em um bom mix de produtos para a sua loja.

Não se engane: ter uma excelente variedade de produtos vai muito além de uma prateleira cheia. Para alcançar essa meta, é preciso considerar os seguintes fatores:

  • Profundidade: diz respeito ao número de opções que são disponibilizadas para um único item. Isso é o que acontece quando um modelo de bolsa, por exemplo, pode ser encontrado em diferentes cores;
  • Extensão: se refere ao número de produtos disponíveis para cada modelo;
  • Abrangência: remete ao número de linhas dos seus produtos.

Ao considerar esses aspectos e expandir o seu mix de produtos, automaticamente, você aumenta o alcance de vendas da loja. Isso porque é possível atingir cada vez mais pessoas, fazendo com que os seus consumidores comprem mais e voltem para futuras aquisições.

  1. Fornecedores que não prezam pela qualidade

Outra questão que pode prejudicar diretamente as vendas da loja são os maus fornecedores. De nada adianta escolher uma empresa que oferece o melhor preço se, no fim das contas, os produtos não são de qualidade ou há muitos atrasos no reabastecimento do estoque.

A consequência disso? Em pouco tempo, as suas prateleiras vão ficar mais vazias e os clientes vão começar a fugir da sua loja. Evitar esse problema é simples: encontre um fornecedor de confiança e que trabalhe com ótimos itens.

Se você não sabe por onde começar, não se desespere! Peça indicações para outros lojistas ou faça uma profunda pesquisa na web. Ao acessar o Google, procure no campo de busca termos como “revendedor de bolsas”, “venda por atacado”, dentre outros.

Isso vai fazer com que apareçam diversas opções de fornecedores. Entre nos sites sugeridos, confira as informações e cheque a reputação da empresa na internet para garantir que as mercadorias oferecidas sejam de alta qualidade e estejam dentro das tendências do mercado.

  1. Não ouvir os clientes

Não basta investir em bons produtos, montar uma vitrine impactante e anunciar as últimas novidades do momento — se você não ouve o cliente, tudo pode ir por água abaixo!

Para fechar vendas da loja, é preciso entender a fundo o seu público e saber como suprir as suas necessidades. Como isso pode ser feito?

  • Coloque-se à disposição para solucionar as dúvidas do cliente;
  • Tenha empatia;
  • Mostre que você entendeu as suas necessidades;
  • Ofereça um atendimento personalizado;
  • Procure soluções específicas para cada consumidor.

Em resumo, se envolva com os problemas do seu público e procure ajudar cada cliente da melhor forma. Desse modo, será possível realizar um planejamento estratégico ainda mais detalhado e acertar em cheio nas suas ações.

  1. Ignorar os concorrentes

A concorrência sempre vai existir — e você precisa lidar com ela. Em vez de ignorar os concorrentes, procure saber o que eles estão fazendo.

Mesmo existindo um estabelecimento que tem vários itens como os seus, é possível que os consumidores prefiram a sua loja por alguns detalhes. Quando um cliente bater na sua porta, você deve saber exatamente quais são os seus diferenciais, para assim, conseguir fechar a venda.

Lembre-se: evite falar mal da concorrência. Ao contrário, procure ser agradável e se destacar, tanto na qualidade dos produtos quanto no tipo de atendimento prestado.

  1. Não conhecer os seus produtos prejudica as vendas da loja 

Muitos clientes não fazem as suas compras por impulso — eles sabem exatamente o que desejam adquirir. Em alguns casos, esses consumidores têm dúvidas específicas em relação ao produto que está sendo oferecido pela sua loja.

A nossa dica é que você conheça exatamente o que está vendendo. Ao entender bem sobre o produto, vai ser possível responder a todos os questionamentos do público com mais facilidade e não passar uma experiência negativa em relação ao atendimento.

Um aviso: quando um vendedor não sabe solucionar certas dúvidas, o cliente pode perder a confiança e procurar outro estabelecimento mais capacitado, por isso, fique atento!

Gostou das nossas dicas e acredita que elas podem ser válidas para aumentar as vendas da loja? Compartilhe o post nas suas redes sociais, espalhe essas informações entre os seus contatos e até a próxima. 

Continue Reading

Dicas de Revenda

Quanto tempo leva para ter lucro na loja?

Published

on

Ter lucro na loja ou em qualquer negócio é o objetivo de todo empreendedor, não é mesmo? Nós sabemos que é um grande desafio abrir uma empresa no Brasil, ainda mais em tempos de instabilidade econômica.

Mas, de uma forma geral, será que existe um tempo certo e ideal para começar a ter lucro na loja? Acompanhe.

O que é lucro?

Bom, o lucro nada mais é do que o valor que sobra das vendas da loja menos os custos para mantê-la funcionando, o que inclui as despesas fixas e variáveis e o seu pró-labore.

Ou seja, com o dinheiro das vendas deu para pagar todos os custos fixos e variáveis da loja, incluindo o seu próprio pró-labore? Então, o que sobrou é o lucro da loja.

Aliás, muitos empreendedores iniciantes apresentam certa dificuldade nesse ponto. Eles não devem retirar seus pró-labores do lucro da loja, mas, sim, dos custos mensais. O lucro deve ser utilizado apenas para remunerar todo o investimento que você fez para abrir o negócio, o expandindo conforme o planejamento.

Mas, afinal, existe um tempo certo para começar a ter lucro?

O fato é que não, não existe um tempo certo e padronizado para uma loja (ou qualquer outra empresa) começar a lucrar. Afinal de contas, isso depende de uma série de fatores, tais como:

  • O segmento do mercado em que você atua;
  • O investimento que você fez para abrir a loja;
  • Se você tem sócios;
  • O custo dos fornecedores;
  • A própria margem de lucro embutida nos produtos, etc.

Mesmo que não exista um tempo pré-determinado para que o dinheiro comece a sobrar no caixa, o fato é que, de um modo geral, é pouco provável que a loja comece a dar lucro logo após sua inauguração. Isso pode levar meses ou até anos para acontecer – por isso que uma das características do empreendedor é a resiliência, não é mesmo?

É muito importante realizar um bom planejamento financeiro antes de abrir o negócio, e, de preferência, separando uma reserva para cobrir os custos durante certo tempo, principalmente nos primeiros meses.

Mas se você já abriu o seu negócio e ainda não teve lucro na loja, não se desespere! A seguir, preparamos dicas para lhe ajudar.

Dicas que podem ajudar a ter lucro na loja

#1 Mantenha o foco nas vendas

Se para ter lucro na loja você precisa vender os produtos, então, mantenha o foco nessa tarefa.

Na prática, você pode treinar e capacitar a sua equipe para melhorar o atendimento, entender exatamente quem é o seu público e o que ele gosta de comprar, além de negociar melhores preços junto aos seus fornecedores para conseguir aumentar a margem de lucro.

#2 Não se esqueça do marketing

O lucro na loja não depende apenas de reformulações internas, mas, também, de operações que atraiam clientes para a loja.

Nesse caso, é muito importante que você foque em estratégias e ações de marketing, para se manter sempre lembrado pelo seu público, e, ainda, conquistar novos clientes – afinal de contas, eles são os maiores responsáveis pelo lucro na loja, não é mesmo?

#3 Estude gestão

Estudar gestão administrativa, financeira, de risco, fluxo de caixa e as demais formas de você conseguir se aperfeiçoar na liderança da sua loja deve ser algo a se considerar. Afinal, o mercado consumidor muda muito rapidamente e você precisa se prevenir contra crises de mercado e outros fatores que possam adiar o lucro na loja.

#4 Tenha paciência

Sabendo que não existe um tempo certo para ter lucro na loja, tenha paciência e persistência, enquanto toma medidas práticas.

Aliás, uma boa dica é pesquisar entre os seus concorrentes ou em lojas parecidas com o seu segmento para encontrar um tempo médio em que eles começaram a ter lucro. Pode ser, inclusive, que você leve até menos tempo do que eles por conta de boas práticas de gestão.

Independentemente disso, lembre-se de ter resiliência, e, se precisar de ajuda, não deixe de procurar por consultores profissionais (como o Sebrae, por exemplo), que podem te ajudar a rever as estratégias do seu negócio para, enfim, começar a ter lucro na loja.

E aí, você já está colhendo os frutos das vendas? Aproveite e confira 7 dicas para você atrair clientes para sua loja. Até a próxima!

 

Continue Reading

Trends Tops

Biroshop | BRW MODAS LTDA - EPP | Rua Julio Ribeiro, 243 Loja 515 - CEP: 03010-030 | São Paulo - SP Brasil | CNPJ:17.235.967/0001-55